quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Você conhece a Deep Web?


Um lugar conhecido por poucos. Um espaço onde transitam grupos como Anonymous e onde informações como as do Wikileaks são coletadas. A internet como todos conhecem é apenas parte do espaço virtual. Para além dela existe uma outra, conhecida como deep web – ou web profunda. Numa reportagem especial, nossa equipe mergulhou nesse universo paralelo, em que não há regras, e os perigos são muitos.

O primeiro choque com a deep web é em relação ao tamanho deste lado escuro da internet. Um iceberg, um destes blocos gigantes de gelo que vagam pelo oceano. A parte visível, que fica acima da superfície da água seria o correspondente à nossa internet cotidiana, como conhecemos hoje. Os outros 90% submersos escondidos ali representariam a proporção desta parte da rede.

Para quem nunca ouviu falar no assunto, a principal diferença entre a nossa internet e a deep web é que neste lado escondido da rede, nada é indexado. Nada é rastreado. Todo o tráfego do dados é criptografado, o que significa privacidade e anonimato, o que pode ser bom e ruim ao mesmo tempo.

"A deep web se diferencia muito da rede normal, porque é tudo criptografado", conta Jaime Orts Y Lugo, especialista em segurança. Ele explica que diferentemente da web tradicional, neste pedaço da web, a informação passa por vários pontos, recebendo uma criptografia em cada um.

Na web normal, tudo que fazemos para chegar a qualquer destino pode ser facilmente rastreado.Ou seja, privacidade é ilusão. Mais que isso: mecanismos inteligentes identificam o que fazemos o tempo todo na rede para, logo em seguida, oferecer publicidade dirigida e relacionada ao nosso gosto pessoal. E muita gente acaba usando a deep web simplesmente por não estar de acordo com esta regra imposta por gigantes como o Google.

"Eu diria que há o respeito à privacidade na parte de baixo [da internet]. Eu não quero ter uma máquina cheia de cookies. Eu não quero que as pessoas saibam o que eu estou comprando, o que eu gostaria de comprar, nem quero ser bombardeado com oportunidades de compra só por estar fazendo uma busca", diz Lugo.

O especialista em segurança diz que a "parte de baixo do iceberg" existe por deficiências da parte superior e seu uso comercial excessivo.

Por outro lado, uma infinidade de criminosos viu na deep web um prato cheio para praticar atos ilícitos e garantir o anonimato. Nossos repórteres mergulharam de cabeça no assunto e descobriram coisas bizarras e assustadoras.

"Tem coisas estranhíssimas que você nem imagina que haja quem possa gostar daquilo, principalmente relacionado a sexo", conta o repórter Leonardo Pereira. "Tudo que você imaginar de parafilia tem lá dentro", ele afirma, contando ainda que é comum se deparar com imagens que "você não gostaria de ver" ao navegar.

E realmente tem de tudo neste lado obscuro da internet: sites de pedofilia, turismo sexual e até assassinos de aluguel estampam a principal página de buscas da deep web.

Lugo, no entanto, vê uma paranoia muito grande sobre a deep web. "Eles preferem sempre falar da coisa ruim, que só tem droga, contrabando, armas... mas tem para quem? Para quem está procurando!", afirma. Ele admite que existe a possibilidade de acabar acessando sem querer uma destas páginas por inexperiência, mas lembra que "quem entra lá para procurar drogas, também pode ir à esquina para comprá-las."

O assunto é delicado e divide opiniões. As autoridades, claro, sabem que a deep web existe, mas como já foi dito não há nada que se possa fazer. É praticamente impossível identificar um acesso neste lado misterioso da rede.

Entretanto, quem a usa para o bem não é conivente com toda esta ilegalidade. O grupo de hackers Anonymous, por exemplo, conseguiu detectar uma rede de pedofilia com 1,6 mil usuários na deep web e, depois de atacar o site virtualmente, entregou todos os envolvidos para a polícia.

"É uma forma de você combater o ponto e não acabar com tudo", afirma Jaime Orts Y Lugo. "Imagina se, em uma sala, uma pessoa está se comportando mal. Por causa dele, o resto vai sofrer as consequências?", exemplifica o especialista em segurança. Ele defende que sejam punidos apenas as pessoas causadoras de problemas.

Para acessar a deep web, é preciso ter um navegador específico chamado Tor (The Onion Router). Seu símbolo, uma cebola, remete às várias camadas que são necessárias atravessar para se chegar a um conteúdo específico.

"A primeira impressão é que se trata de um lugar bem difícil de se mexer e que você precisa de muita paciência, seja lá qual for o motivo pelo qual você está usando a deep web", conta o repórter Leonardo Pereira. "Nós conversamos com algumas pessoas e elas disseram que os vírus surgem lá. Eles são testados lá dentro. Então é preciso tomar cuidado, com um computador bem preparado e não pode sair clicando em tudo", ele explica.

Ou seja: para experimentar, tome esta série de medidas de proteção:

Tenha um bom antivírus instalado;
Use um firewall;
Patches de segurança de seu sistema operacional devem estar atualizados;
Prefira um modem 3G à rede de internet local para evitar uma invasão;
Procure algo interessante.

"Trazer alguma coisa do mundo de lá para o mundo de 'cá' é perigoso, sem dúvidas. Pode acontecer o mesmo que comigo: eu baixei um monte de coisas relacionadas à minha pesquisa e não era nada daquilo", diz Lugo, recomendando cautela.

A mesma postura é recomendada por Leonardo Pereira. "Na dúvida, não clique. É a principal dica", recomenda o repórter.

Nosso time do Olhar Digital está preparando uma série de reportagens sobre a deep web. Caso você tenha ficado curioso, confira os links logo abaixo do vídeo para ficar por dentro de tudo que cobrimos sobre este lado sombrio e misterioso da internet.

Deixamos disponível também o link para baixar o Tor. Usando este navegador, mesmo na internet normal, você tem a garantia de que nenhum site nunca mais irá coletar suas informações enquanto navega.

Se você quiser navegar pelas águas não mapeadas da deep web, siga nossos conselhos de segurança e, nunca é demais lembrar: tome cuidado e boa sorte. E se você já se aventurou neste mundo, compartilhe suas experiências nos comentários com outros leitores.

Links:

O que é a deep web

Baixar o Tor

O lado positivo da deep web

O lado bizarro da deep web

http://olhardigital.uol.com.br/fique_seguro/video/voce-sabe-o-que-e-a-deep-web/32156

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A importância do "share" nas redes sociais



Em nenhum lugar (fora numa avalanche de neve) a analogia com a bola de neve é tão boa quanto nas mídias sociais. Isso porque um share cresce em progressão geométrica (e não aritmética).

Vamos dizer que você posta aquela foto de um gatinho meigo dizendo bom dia e, assim, dois amigos seus, clicam em share! E aí, o poder do gatinho meigo faz com que cada 2 seguidores dos seus amigos também cliquem em share. E assim sucessivamente.




Então vamos lá:

1 – Você – Share
2 – Amigos – Share
4 – Amigos – Share
8 – Amigos – Share
16 – Amigos – Share
32 – Amigos – Share
64 – Amigos – Share
128 – Amigos – Share




* Em apenas 8 ações você teve 3423 shares. Levando em conta que cada pessoa tem 200 followers (ou amigos, enfim, conexões) O gatinho meigo ganhou 684.600 impactos e, levando em conta que o Tio Mark dá aquela seguradinha para baixo no seu conteúdo, podemos dizer que ele teve 136.920 visualizações.

Quero ver a bola de neve descendo a montanha ganhar do share agora! Ficou pequeno para ela.

Agora que você deseja esse poder da avalanche, vamos ver como fazer isso na prática.

Regras de ouro

1. Gere sentimento
Porque o gatinho meigo dando bom dia é o conteúdo mais postado no mundo (sim, é). Porque ele gera sentimento de empatia, carinho e meiguice aguda. E o bom dia é fogo, se você der bom dia para 10 pessoas na rua, 5 vão te responder, mesmo sendo estranhos. Se você for a Gisele Bunchen (ou o Caio Castro), 11 vão te responder, se você for o Bin Laden, -1 (ou seja, conteúdo é fera).

Portanto, gere um sentimento através da imagem (que você queira passar) com uma mensagem que vale a pena ser repassada (uma frase de impacto, basicamente).

2. Faça coisas chatas ficarem legais
O que é chato? Basicamente tudo que você tem que ver de forma repetitiva e/ou técnica. Você prefere ir para uma convenção de contabilidade ou uma festa da Ford Models? Portanto, se você for promover a festa da Ford Models, faça de forma direta (pois o seu evento já é atrativo). Se você for promover a convenção de contabilidade, use a criatividade sem perder a seriedade. Como? Veja os dois exemplos abaixo:


3. Construa interações
As ferramentas de rede social não são ferramentas de broadcast da sua mensagem, são locais onde as pessoas interagem. Elas gostam de interagir, por isso que fritam as ferramentas todos os dias com milhares de posts (afinal, por que razão uma pessoa faria uma #selfie?).

Use isso a seu favor, faça posts que gerem interações, pedindo para que as pessoas deem share na mensagem (por exemplo, se você concorda, divida) ou mesmo com incentivo direto como uma promoção onde o usuário ganha algo ao dar o share e marcar amigos.


4. Converse com as pessoas
Nada melhor do que uma grande marca conversar com alguém. Quando um famoso conversa com alguém, a pessoa acha o máximo. Quando não é famoso, a pessoa gosta muito. Em todos os casos as pessoas adoram falar com alguém. Portanto, dê muitos likes e comente muito os posts alheios com coisas positivas. Você verá que as pessoas vão amar sua pró-atividade.

Fernando SC Dias
http://noticias.r7.com/blogs/fernandoscdias/entenda-como-8-shares-viram-mais-de-3-mil-20160908/

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

A presença nas redes sociais é obrigatória para qualquer empresa


Nada menos do que 45% da população brasileira está presente nas mídias sociais, segundo dados da pesquisa Digital In 2016, da We Are Social. O país é líder em tempo gasto nestas plataformas, com 650 horas/mês dedicadas a canais como Facebook, LinkedIn, Twitter e G+, entre outros (dado do levantamento Digital Future Focus Brazil, da comScore).


Com tanta adesão de público, as redes sociais são plataformas de participação obrigatória para as empresas, representando ambiente propício para a comunicação, fortalecimento de marcas e vendas: estudo do Sebrae e E-commerce Brasil mostra que as páginas de relacionamento foram citadas por 72% dos entrevistados como o principal canal para concretização de vendas online, deixando os sites de busca em segundo lugar, com 68%.

Um potencial que as companhias já notaram e começaram a aproveitar. Outra pesquisa do Sebrae atesta que 36% das empresas brasileiras têm perfil em ao menos uma rede social, enquanto relatório da Avanade indica o Facebook como a plataforma mais utilizada, com 75% das adesões, seguido por Twitter (49%) e LinkedIn (47%).


Ou seja, estar fora das redes sociais é deixar espaço para a concorrência e perder oportunidades valiosas de interação com os públicos-alvo. Canais amigáveis para a comunicação fluida e instantânea, estas mídias propiciam às marcas não apenas veicular suas mensagens, falar unilateralmente, mas também e principalmente receber feedback dos interlocutores, por meio de comentários, likes, compartilhamentos e mensagens.

Um recurso que vale ouro: para qualquer empresa, saber o que seu público pensa e como interage com cada produto, serviço, promoção, ação de marketing, mensagem de marca é fundamental para avaliar a repercussão e os impactos gerados. O retorno do público permite avaliar o conteúdo, a forma, o canal e os resultados de cada ação, colhendo dados que possibilitarão melhorar não só a comunicação da marca, mas também os produtos e serviços comercializados, adequando tudo às demandas do consumidor, o que aumenta o nível de assertividade, satisfação de necessidades e desejos e, por conseguinte, as vendas e a fidelização do comprador.

Em outras palavras, a presença corporativa bem gerida nas redes sociais abre canal para que a empresa fale com seus públicos e os ouça, recebendo deles indicações sobre o quanto seus produtos, serviços e conteúdos agradam ou desagradam, quais são as demandas que não estão sendo atendidas (latentes), que mudanças e melhorias os usuários propõem, qual a forma correta de agir, produzir e comunicar para satisfazer o cliente.

Não à toa, o Gartner, uma das mais respeitadas consultorias globais de pesquisa de mercado, aponta as redes sociais como uma das “quatro forças convergentes” para o futuro da tecnologia e dos negócios. Tais plataformas reúnem informação com contexto, interligam usuários e marcas de forma interativa e colaborativa, possibilitando moldar empresas, discursos, processos, produtos e ofertas ao sabor dos interesses declarados do mercado. Não é preciso adivinhar ou fazer grande esforço de busca: os dados estão ali, expressos em comentários e mensagens diretos, prontos para serem ouvidos, acatados e utilizados na melhoria do relacionamento entre marca e consumidor.

Para empresas de qualquer setor, não ter perfis nas mídias sociais é um erro. Estar presente nestas redes sem estratégia planejada e executada por profissionais capacitados é outro, ainda mais grave.

A presença corporativa em mídia social requer comunicação estudada e definida a partir das características e objetivos de cada empresa a cada momento de sua estratégia de negócios. É preciso alinhamento entre comunicação e gestão empresarial, pois o motivo da participação nas redes é fomentar relacionamentos positivos com o cliente, o que, no fim, deve resultar de diversas formas em vantagem para os resultados comerciais.

A assessoria em mídias sociais, seja feita por um profissional capacitado contratado pela própria empresa ou por agências terceirizadas especializadas, é primordial para garantir tais resultados. A produção de conteúdo, estudo da linguagem utilizada, gestão de publicações, gerenciamento do relacionamento com o consumidor, definição de ações proativas e reativas, administração de feedback e atuação em casos de crise são tarefas a serem executadas com perícia, sempre com foco no objetivo maior: enriquecer a experiência do consumidor com determinada marca, fortalecendo seu nome no mercado.

Os resultados de atuação bem feita em mídias sociais são reais e mensuráveis. A Altimer Group e a Wetpaint analisaram as 100 empresas mais valiosas do mundo, apontadas pela Business Week, e descobriram que as que investiram em redes sociais tiveram crescimento médio de receita de 18% em 12 meses, enquanto as que não o fizeram ou se mostraram pouco engajadas nestes canais registraram queda de 6%, em média, no mesmo período.

Outro relatório, este da consultoria McKinsey mostra que, nos EUA, 70% das empresas usam tecnologias sociais e 90% delas relatam benefícios para os negócios depois da implementação de estratégias planejadas de atuação nestes canais, com potencial de agregar valor adicional de US$ 900 bilhões a US$ 1,3 trilhão (resultado grupal) por ano.

Mais do que visibilidade, a atuação bem gerida nas mídias sociais traz credibilidade. Marca bem-sucedida é marca lembrada, valorizada, creditada e engajada com seu público.

Escrito por Gláucia Civa Kirch (*)
(*) Jornalista especializada em comunicação empresarial, gestão de mídias sociais e comunicação integrada, e diretora da Capital Informação, Assessoria e Consultoria em Comunicação.

http://portal.comunique-se.com.br/artigos-colunas/82185-midia-social-para-empresas-nao-e-opcional-e-obrigatorio

Funções do Marketing Digital


Eric Santos/No texto de inauguração desta coluna, comentei que uma das barreiras que as empresas têm para usar a Internet para o Marketing é entender a complexidade do canal. São tantas redes, ferramentas e abordagens possíveis que muita gente acaba tendo dificuldades de entender o sistema como um todo, e por consequência, medo de experimentar.

Na verdade, a melhor forma de entender o Marketing Digital é se "afastar das árvores para conseguir ver a floresta", como na velha metáfora.

Para ajudar nessa missão de ver o todo, criamos um modelo simples que representa as cinco grandes funções que qualquer time de Marketing deve se preocupar para conseguir gerar resultados:



Monitorar:
 As conversas e o marketing boca-a-boca sobre as marcas sempre aconteceram, mas na Internet é possível acompanhar o que as pessoas estão falando sobre a empresa e seus produtos e, caso necessário, agir adequadamente. Com o uso inteligente do monitoramento, também é possível descobrir e interagir "ao vivo" com pessoas que demonstram interesse no tema do seu negócio. Além disso, a Internet é um excelente meio para acompanhar as principais mudanças na sua indústria e os novos passos dos seus concorrentes, trazendo inteligência competitiva para a empresa.

Atrair:
O primeiro grande passo para gerar resultados com o Marketing Digital é trazer visitantes para o seu site (ou comunidades/perfis nas mídias sociais). Há três maneiras principais de se fazer isso:
(1) produzindo conteúdo relevante para seu público-alvo,
(2) otimizando o seu site para melhorar sua colocação no Google e outras ferramentas de busca – prática conhecida como SEO – e
(3) comprando mídia (anúncios) no próprio Google ou em outros sites que são visitados pelos seus potenciais clientes. Se bem equilibradas, essas atividades garantem um ótimo retorno sobre investimento em atração de clientes no curto e no longo prazo.

Relacionar:
Para a grande maioria dos negócios, especialmente os B2B, não é exatamente na primeira visita ao site que o potencial cliente toma a decisão de comprar o seu produto ou serviço. O Marketing Digital permite que a empresa retenha esse visitante, se mantenha próxima dele e aos poucos vá gerando credibilidade e abrindo portas para o negócio se concretizar. Para isso, é importante estabelecer os canais e as práticas para se fazer esse relacionamento com os clientes atuais e potenciais.


Converter:
Acima de tudo, o Marketing Digital deve ser visto como uma forma eficiente de gerar resultados ($) para a empresa. Ao longo do tempo, é preciso converter esses visitantes do site em clientes ou em oportunidades de negócio (Leads). Ao contrário das mídias tradicionais, na Internet há uma série de formas de conduzir o cliente para uma ação desejada, tais como entrar em contato com a Central de Atendimento, deixar informações de contato para que a equipe de vendas possa ajudá-lo, ou até mesmo a compra direta do produto ou serviço no próprio site.

Analisar:
Uma das grandes vantagens do Marketing Digital se comparado às mídias tradicionais é a possibilidade de medir os resultados em detalhes. Mais do que isso, é possível identificar as ações que têm dado resultado e assim melhorar constantemente o Retorno sobre Investimento (ROI), cortando o que não funciona e aumentando os recursos onde o retorno é positivo.

Em linhas gerais, essas são as grandes missões que qualquer empresa deve fazer na Internet.
Para quem ainda não está familiarizado, o ideal é começar de forma simples, mantendo um equilíbrio nesses cinco campos e investindo pouco a pouco para se aprofundar e conhecer melhor as técnicas de cada área. Aos poucos aqui na coluna vou me aprofundar e entrar nos aspectos práticos de cada função.
http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/as-5-principais-funcoes-do-marketing-digital/60606/

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Construindo a sua imagem nas redes sociais



Como construir uma marca pessoal sustentável nas redes sociais


Especialista da Stato recomenda manter perfil completo e atualizado, conteúdo de qualidade sobre a área em que atua e engajamento com os pares

O posicionamento de cada indivíduo diante do mercado em que atua é responsável pela imagem que será transmitida para outras pessoas. Ao longo do tempo esse posicionamento individual é conhecido como marca pessoal. “Uma marca pessoal de representatividade é o que vai diferenciá-lo de outras pessoas no mundo, tanto na esfera pessoal quanto na profissional”, afirma Juliana Palermo, especialista de marketing da Stato.



Devido ao alcance da internet e a exposição das pessoas nas plataformas sociais, o processo de construção dessa marca nunca foi tão importante. Ao passo que as redes sociais possibilitam a qualquer pessoa comunicar seus anseios, posicionamentos e capacidades em tempo real, elas permitem interpretações e reações quase que ao mesmo tempo. Nesse sentido, de forma mais estruturada ou não, a marca pessoal precisa de uma estratégia que, por sua vez, precisa de objetivos.


Os objetivos podem englobar o reforço do posicionamento da pessoa no mercado, ou mesmo o destaque como especialista em determinado assunto, ou como formador de opinião. “Para atingir tais objetivos, a pessoa pode utilizar as mídias sociais para fazer networking em contato com profissionais de diversas áreas, ex-colegas de trabalho, formadores de opinião e até possíveis clientes”, enfatiza Juliana.


Para otimizar o processo de construção da marca pessoal, confira algumas dicas da Stato:

1. Complete e atualize seu perfil com boa foto e dados corretos;

2. Utilize palavras-chave que identifiquem quem você é para que seja encontrado(a) com mais facilidade;

3. Planeje seu conteúdo, faça postagens que demonstrem seu conhecimento em sua área de atuação;

4. Compartilhe ideias, dicas e novidades sempre com a sua opinião;

5. Comente as publicações de seus colegas que sejam relacionadas;

6. Crie posts que busquem engajamento e faça relacionamento;

7. Seja criativo, pense em posts que chamem a atenção do público, gerando interação quanto ao conteúdo publicado;

ü Crie uma chamada para a ação, se você quer que alguém comente ou compartilhe algo, deixe isto explícito no texto e se envolva com os comentários;

8. Aproveite a oportunidade para desenvolver relacionamentos.




Carreira corporativa

Pensou em carreira corporativa? Crie um perfil no LinkedIn. Presente em mais de 200 países, o LinkedIn é a maior rede profissional do mundo com 443 milhões de usuários. Utilizada não somente para a busca de emprego, a rede possibilita desenvolver uma estratégia pessoal focada em networking, sendo que 80% dos decisores e formadores de opinião se encontram nessa rede e 75% das pessoas que estão na rede querem fazer contatos importantes.


Além disso, ele pode ser uma fonte de geração de negócios e leads e impulsionar sua presença profissional na internet, aumentando suas chances de aparecer no Google. “Com o perfil atualizado e o mais completo possível, o profissional chamará atenção dos recrutadores, que consideram a rede social uma importante ferramenta para encontrar e conhecer melhor os candidatos”, alerta Juliana.


Contudo, as redes sociais funcionam como uma vitrine e podem ser acessadas a qualquer momento, por isso, a visibilidade e o excesso de exposição proporcionada pode trazer riscos ao indivíduo/candidato, pois o recrutador pode encontrar algo que resulte na desistência da contratação. Portanto, tenha cuidado com os conteúdos compartilhados.



O que evitar nas redes:
- Reclamar do trabalho, colegas ou chefes;

- Mostrar nas redes sociais alguém que você não é, seja autêntico;

- Perder o controle ao discutir política, religião e outros temas polêmicos;

- Falar muitos palavrões;

- Preste atenção na ortografia;

- Demonstrar preconceito e intolerância.



O que postar para tornar seu marketing pessoal interessante:

- Publique suas conquistas;

- Divida suas experiências;

- Compartilhe notícias sobre a área;

- Compartilhe eventos;

- Interaja, comente, dê sua opinião – sempre de forma respeitosa.


Por fim, utilize os recursos que as redes disponibilizam.

No LinkedIn, por exemplo, existe um espaço dedicado para uploads de publicações que você já tenha feito, explore esse recurso.

Já o Facebook é uma rede social para registrar e compartilhar acontecimentos de caráter pessoal, portanto, vale mostrar mais de quem você é: seus hobbies, gostos, etc.



http://www.administradores.com.br/noticias/marketing/como-construir-uma-marca-pessoal-sustentavel-nas-redes-sociais/112776/

segunda-feira, 11 de julho de 2016

As 47 melhores ferramentas gratuitas para monitoramento de redes sociais


As 47 melhores ferramentas gratuitas para monitoramento de redes sociais

Quando se trata de avaliar a performance da sua marca ou serviço nas redes sociais, não basta apenas saber o que dizem e o quanto dizem sobre você.

Existem diversas métricas que podem ser exploradas e utilizadas para medir o seu desempenho nas redes sociais (e não apenas para auxiliar no atendimento ao cliente) e para fornecer dados que sejam estratégicos para o negócio.

Para te ajudar nessa tarefa separamos 47 ferramentas gratuitas para monitoramento de redes sociais que oferecem diferentes análises e que podem te auxiliar na produção de seu relatório de monitoramento, nas tomadas de decisão em relação aos concorrentes, na produção de conteúdo e na criação de novas estratégias para suas redes sociais.
1. Topsy

Focada no Twitter, ela é dividida em três partes: Social Search, Social Analytics e Social Trends. A primeira te ajuda a descobrir o volume de conteúdos publicados sobre a sua empresa em um determinado período, incluindo tweets, fotos, vídeos e links.

A segunda oferece análise primária do sentimento dos posts e um histórico do volume de postagens, podendo ser comparada com outras marcas ou palavras-chave.

Já a parte de Social Trends traz o que há de mais popular no momento, sinalizando as novas tendências mundiais.
2. LikeAlyzer

Através de métricas pré-definidas, a ferramenta LikeAlyzer calcula o desempenho de sua Fanpage – comparando-a com as principais páginas ligadas ao seu setor – e oferecendo diversas boas práticas para que você consiga melhorar sua nota na plataforma, que varia de 0 a 100.
3. Iconosquare

Conhecida anteriormente como Statigram, essa ferramenta oferece o que há de melhor sobre dados de Instagram, uma vez que a própria rede social não possui um painel analítico.

Através do Iconosquare você pode verificar seu histórico de fãs, o volume de curtidas e comentários e até o número de pessoas que não são seus fãs, mas chegaram até suas fotos graças a atividades de terceiros.
4. Cyfe

Quando se trata de dashboards a Cyfe é a ferramenta mais robusta do mercado. Mesmo o seu plano gratuito oferece uma enorme customização dos dados e métricas das principais redes sociais existentes.

Ela também oferece um “modo TV” que permite instalar um telão em uma sala ou ambiente profissional para que várias pessoas consigam acompanhar o desempenho de determinada marca em tempo real.
5. Followerwonk

Oferece uma análise detalhada sobre os seus seguidores do Twitter, como palavras-chave mais utilizadas, relevância social, quantas vezes divulgam links, quantas vezes retuítam seu conteúdo, quando estão online, quais as linguagens mais utilizadas e em quais lugares do mundo estão localizados.
6. MyTopTweet

Dos mesmos criadores do Riffle, essa ferramenta permite saber quais os tweets mais populares (que possuem maior número de retweets e favoritos) de cada perfil.

Além de ajudar no seu desempenho, pode oferecer informações relevantes sobre os melhores conteúdos de seus concorrentes.
7. ViralWoot

Voltada exclusivamente para o Pinterest, essa ferramenta permite que você agende os seus pins, promova os que estejam em destaque e consiga novos seguidores.

Além disso, a versão grauita exibe seus novos seguidores, curtidas e repins. Há também uma versão paga, com a possibilidade de receber um alerta a cada vez que o conteúdo de seu site se tornar um pin.
8. Google Analytics

Além de ser a principal ferramenta para análise e desempenho de sites, o Google Analytics também oferece diversas métricas voltadas para o social, como a quantidade de visitantes que chegou ao seu site a partir de cada rede, ou quais blogs trouxeram mais acesso para a sua marca, por exemplo.
9. HowSociable

Deseja saber quão popular é a sua marca? Digite seu nome nessa ferramenta e receba um ranking social dos últimos 7 dias no Facebook, LinkedIn, Youtube e Twitter.
10. SocialBakers

A mais completa ferramenta paga de mídias sociais também oferece uma opção gratuita, que permite descobrir quais as marcas mais populares de cada rede social (Facebook, Twitter, Google+ e Youtube), divididas por categorias, audiência ou rápido crescimento.
11. Collecto

Assim como o IconoSqaure, o Collecto também oferece dados básicos do Instagram, além de exibir suas fotos mais curtidas e compartilhadas desde a criação de seu perfil, o que representa uma grande ajuda pra monitorar métricas básicas e importantes da rede social.
12. SumAll

A premissa do SumAll é permitir que você crie um dashboard para visualizar as métricas que considerar mais importantes para a sua marca/negócio.

O diferencial fica por conta da quantidade de redes sociais conectáveis: mais de 50, incluindo as mais populares.
13. Klout

Quer saber o seu nível de influência nas redes sociais? Com o Klout, você consegue descobrir sua nota de 0 a 100, e receber dicas de boas práticas para se tornar cada vez mais relevante.

Funciona com todas as principais redes, oferecendo um dashboard de desempenho, para que você possa saber onde seu trabalho está sendo melhor percebido.
14. Fanpage Karma

Ao conectar sua Fanpage gratuitamente, você irá receber uma análise de desempenho extensa, com dados de engajamento, melhores horários para postar, dicas de frequência, tipos de posts mais relevantes, influenciadores, entre outros.

A ferramenta também permite exportar os dados para planilhas em Excel, a fim de que sejam cruzados com outros.
15. Keyhole

Feita para monitorar o desempenho de hashtags específicas de Twitter e Instagram, a ferramenta permite acompanhar o alcance, as impressões, e até mesmo os tópicos relacionados a cada hashtag que você gerar.

Também traz os usuários com mais poder de influência e a localização dos mesmos.
16. IceRocket

O IceRocket é uma ferramenta de monitoramento super completa e disponível em mais de 20 línguas. Além de monitorar as suas redes sociais, ele também acompanha o seu blog, e permite exportar gráficos de resultados que você pode adaptar e personalizar, de acordo com o período de tempo que você escolher.

Com mais de 200 milhões de blogs em seu banco de dados, eles mostram as principais tendências através de termos que estão sendo usados dentro da sua busca.
17. Hootsuite

O Hootsuite é uma das melhores ferramentas gratuitas de monitoramento social, cobrindo as principais mídias como o Facebook, Twitter, LinkedIn, Instagram, WordPress, Google + e o Foursquare.

Além de relatórios semanais, é possível cadastrar um time de marketing, enviar mensagens privadas e atribuir tarefas a cada um deles. A versão gratuita permite monitorar até 3 redes sociais simultaneamente.
18. Buffer

O Buffer, lado a lado com o Hootsuite, é uma das plataformas mais utilizadas para o monitoramento de redes sociais. Ele possui todas as funcionalidades das principais plataformas (agendamento de posts, monitoramento social), e ainda identifica os melhores horários de postagem em cada um dos canais disponíveis.

No perfil grátis, você pode monitorar uma conta por rede social. Lá, as disponíveis são: Facebook, Twitter, Google + e LinkedIn para os planos gratuitos.
19. TweetReach

Se você quer descubrir que é o impacto dos seus tuítes dentro da sua rede de seguidores, o TweetReach é a escolha certa! Ele monitora o impacto e as implicações dos seus posts dentro das discussões no Twitter.

É uma excelente opção para conhecer quem são os seus influenciadores, defensores e detratores, além de guiar a sua empresa para interagir com as pessoas certas para replicar o seu conteúdo online.
20. Social Mention

O Social Mention é uma das melhores ferramentas gratuitas de acompanhamento social. Conhecida como uma listening tool, ele monitora mais de 100 sites de mídias sociais e analisa os dados de forma mais profunda, dividindo-os em 4 categorias: Força, Sentimento, Paixão e Alcance. (Strengh, Sentiment, Passion and Reach).
21. Twazzup

Uma das ferramentas mais usadas por iniciantes, o Twazzup é super simples de trabalhar. É só inserir o nome de usuário que você deseja acompanhar e ele fornece atualizações em tempo real, principais influenciadores, tuítes mais compartilhados, fotos, links e as 10 palavras-chave mais relevantes para a sua busca.
22. Addictomatic

Simples e direto como o Twazzup, o Addictomatic traz um reforço interessante: ele permite acompanhar uma grande variedade de plataformas, como o Flickr, Youtube, Twitter, WordPress, Bing News, Google, Ask.com e vários outros. É realmente útil para ter uma visão geral da sua marca e ficar de olho em inovações dentro do seu mercado.
23. TweetDeck

O TweetDeck é um velho conhecido dos usuários mais experientes do Twitter. Apesar de já ser famoso no mercado, é uma excelente opção para os iniciantes por ser simples e direto. Com ele, é possível agendar posts, monitorar interações, hashtags e monitorar vários perfis.

Porém, é muito comum ficar sem atualizações por muito tempo e alguns bugs são bem comuns na plataforma.
24. Mention

O Mention monitora milhões de fontes de conteúdo em mais de 42 línguas! É excelente para te deixar por dentro de todas as menções à sua marca em qualquer canal digital.

Também é possível monitorar as ações do seu time, criar e compartilhar alertas, e designar tarefas. É possível criar relatórios com as menções à sua empresa e facilita o monitorando das citações em um determinado espaço de tempo.

Eles oferecem um trial de 14 dias e o plano básico permite um alerta por usuário.
25. Twitonomy

O Twitonomy é uma plataforma muito robusta de analytics para o Twitter. É só fazer login com a conta que você deseja acompanhar e ter acesso a várias métricas, de graça. Ele mostra detalhes das suas listas no Twitter, seguidores, quem você está seguindo, tuítes populares, engajamento e muito, muito mais! Também é possível acompanhar conversões através de hashtags, usuários ou listas.

Há também um plano premium que libera ainda mais funcionalidades.
26. Simply Measured

O Simply Measured é uma ferramenta que permite criar relatórios bem interessantes sobre as principais redes sociais, como o Twitter, Facebook e Instagram. Ele mostra os principais conteúdos do Facebook, análise de competidores, de página e muito mais.

Ele também é uma ferramenta de monitoramento e análise da sua atividade, mas essas funcionalidades são liberadas em uma versão paga da ferramenta.
27. AgoraPulse

A AgoraPulse é uma ferramenta riquíssima para o monitoramento de redes sociais. Ela é gratuita e possui uma versão paga para empresas.

A ferramenta é semelhante em funções ao Hootsuite e também atende às principais redes sociais utilizadas no mundo.
28. Buzzsumo

O Buzzsumo oferece diversos insights sobre quais conteúdos estão funcionando bem nas redes sociais e quem está ajudando a disseminá-los.

Ele identifica conteúdos que possuem a sua keyword definida, e até quando um competidor posta um novo conteúdo.

As comparações são bem detalhadas e o acompanhamento de compartilhamento em diferentes redes sociais é bem interessante.

A versão grátis permite apenas algumas pesquisas diárias, mas já é uma boa forma de acompanhar os seus principais conteúdos.
29. WhosTalkin

O WhosTalkin é uma fonte de insights e conhecimento para profissionais de mídias sociais. Com dados de mais de 60 redes sociais é possível acompanhar as principais interações em torno de um determinado tópico.
30. Pluggio

O Pluggio é uma ferramenta de gerenciamento para o Facebook e Twitter que acompanha e gera gráficos automaticamente, com as principais métricas das suas mídias sociais.

Com ele, é muito fácil analisar a performance dos seus canais e o crescimento da audiência.

Ele ainda possui uma integração com o Bit.ly que permite acompanhar os clicks e o impacto que os seus posts estão tendo.
31. Shared Count

O Shared Count é um serviço que acompanha quantas vezes uma URL foi compartilhada nas principais redes sociais, incluindo Facebook, Twitter, LinkedIn e Google +.

Além do compartilhamento de URL’s, ele também acompanha likes, tuítes e muito mais. O plano grátis permite até 10 mil consultas por dia.
32. Social Searcher

O Social Searcher é uma busca em tempo real dentro das principais redes sociais junto com uma ferramenta de análise.

Você pode procurar, sem a necessidade de fazer login, por dados no Twitter, Google + e Facebook, além de criar alertas e salvar suas buscas.

O serviço premium expande essas possibilidade para salvar históricos, integração com a API do programa e muito mais.
33. Edgerank Checker

O Edgerank Checker é uma ferramenta de análise da Social Bakers que monitora, ranqueia e analisa a sua página no Facebook.

Ele fornece diversas informações para otimizar a sua fan page e ajuda a definir as melhores estratégias para suas ações online. Também é possível testar dias específicos para saber que os seus fãs estão mais ativos no Facebook.

34. Social Oomph

Quer uma ferramenta simples e direta pra monitorar e dar um boost nas suas redes sociais? O Social Oomph acompanha palavras-chave, menções, retuítes, seguidores, publicações e muito mais, em diversas redes sociais.
35. Google Alerts

O Google também tem uma ferramenta bem legal que pode ser utilizada para as redes sociais.

O Google Alertas pode ser usado para monitorar qualquer interação online, inclusive menções nas redes sociais e outras atualizações dentro dos seus canais sociais.
36. Social Bro/ Audiense

O Social Bro, agora tem um novo nome, Audiense.

Essa ferramenta te ajuda a gerenciar, explorar e analizar suas contas do Twitter. Ele analisa em tempo real as interações e também armazena um histórico com todos os dados mais relevantes sobre os seus canais.

É possível fazer pesquisas bem completas cruzando diversos dados através de hashtags, menções e palavras-chave.

A versão grátis permite até 5.000 interações.
37. Brand 24

Com um painel de dashboard bem legal, você tem acesso a informações em tempo real e diversos insights sobre os seus usuários, com dados detalhados sobre a sua audiência e seu conteúdo.

Apesar de ser pago, vale muito a pena experimentar os 14 dias de trial grátis.
38. Quintly

O Quintly permite que você acompanhe até 3 páginas do Facebook, analisando estatísticas sobre seus seguidores e o engajamento deles com seus posts. É possível customizar o dashboard com diferentes widgets para acompanhar diversas métricas.
39. Keyhole

O Keyhole apresenta diversas métricas de acordo com os parâmetros de pesquisa que você escolher. É possível filtrar através de palavras-chave, hashtags ou URL’s, e acompanhar os principais sites, dados demográficos e localização.

A versão grátis mostra alguns resultados e existem diversos planos pagos.
40. Buzz Bundle

O Buzz Bundle cobre uma diversidade de redes sociais e você pode agendar posts, comentários e respostas em diversos canais, sem sair do dashboard. Uma função interessante é a possibilidade de criar diferentes personas e deixar um departamento responsável por cada uma delas. A versão grátis dá apenas uma amostra de cada funcionalidade, mas ainda assim é bem interessante.
41. Over-graph

O Over-graph permite postar em diferentes redes sociais e ainda responder as interações sem sair do dashboard. Oferece ainda um analytics para acompanhar o engajamento dos usuários e relatórios que podem ser enviados direto para o seu e-mail.
42. Fan page Karma

Analitycs, monitoramento e engajamento nas principais redes sociais podem ser acompanhados diretamente pelo Fan page Karma. Muitas métricas estão disponíveis, incluindo dados sobre engajamento, melhor tipo de conteúdo e hora de postagem.

É possível acompanhar uma página de graça, mais podem ser adicionadas por uma variedade de preços.
43. Kred

Acompanhar os influenciadores dos seus canais é bem importante, e o Kred é uma ferramenta excelente para quem está começando no marketing de influenciadores. Você pode marcar os usuários, com base em suas menções, retuítes, respostas e probabilidade de replicarem o seu conteúdo. É uma excelente ferramenta para identificar quais usuários são influentes entre os seus seguidores.
44. Onalytica

Correlações são sempre importantes para o marketing digital. O Onalytica é uma ferramenta bem interessante que procura os substantivos dos seus tuítes, compara esses substantivos com tuítes seus ao longo de 12 meses e sugere influenciadores relevantes com base nessa correlação.

O algoritmo sugere 50 influenciadores, mas conferir duas vezes todos eles é uma ideia.
45. Woo Rank

O Woo Rank fornece estatísticas sobre as suas redes sociais, como um comparativo entre 3 competidores sobre o engajamento dos posts, detalhes da conta do Twitter e detalhes da fan page do Facebook.
46. Yoono

O Yoono é uma ferramenta para acompanhar as interações sociais que envia alertas quando novas interações acontecem e ainda permite atualizar diferentes redes sociais de uma vez só. Porém, não é possível agendar posts no Yoono.
47. Rapportive

O Rapportive fecha a nossa lista com um formato um pouquinho diferente.

Ele fornece detalhes sobre o perfil social e dados de e-mail de todo mundo que envia e-mails para você pelo Gmail.

É possível até conectá-lo com o LinkedIn sem sair da interface do Gmail. E ele é disponibilizado como um plugin grátis para o Google Chrome!
Concluindo…

Sabemos que algumas das ferramentas que citamos são bem específicas e atendem a necessidades diferentes, o que faz com que nem todas possam ser úteis para a sua marca no momento atual.

Mas unindo aquelas que se adequam melhor aos seus objetivos atuais para suas redes sociais é possível extrair muitos dados estratégicos sem custos adicionais.

E lembre-se: monitoramento bem feito e de acordo com o que você deseja atingir é essencial para o sucesso nas redes sociais. Nunca se esqueça de avaliar seus resultados e, a partir deles, analisar o que anda funcionando para sua empresa.

E você? Conhece alguma outra ferramenta gratuita que possa ser complementada com alguma das apresentadas acima, ou que ofereça dados que não foram apresentados?
fonte:
http://marketingdeconteudo.com/ferramentas-gratuitas-para-monitoramento-de-redes-sociais/

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Ignorar as redes e mídias sociais nas disputas eleitorais pode ser fatal



Marcelo Rebelo* – articulista do Minuto Mais

Nestas eleições de outubro, as redes sociais serão ainda mais importantes para as campanhas eleitorais. Com menos tempo de campanha na tevê aberta, com a diminuição de verba e com o fim das doações empresariais para as campanhas, a presença nos meios virtuais aparece como uma opção de visibilidade mais barata, eficaz e até decisiva.

Alguns políticos ainda não se deram conta disso e cometem o equívoco de não darem a devida importância às redes e mídias sociais. Isso pode ser fatal e o preço a pagar pode ser uma derrota nas eleições.

Todo parlamentar deseja o status de “Político 2.0”, mas apenas uma minoria efetivamente sabe fazer uso das ferramentas para interagir com seus eleitores e conseguir dividendos políticos. Nessa ânsia, comentem o maior dos pecados, que é aventurar-se nas redes sociais sem o mínimo de preparo e de planejamento, não dimensionando o estrago que elas podem causar.

Muitos políticos ainda gabam-se por não usarem os recursos digitais, ou pior, quando se valem deles, utilizam-nos de maneira totalmente equivocada: da mesma forma que santinhos e faixas para disputar eleições, como uma via de diálogo de mão única. Eu falo, você escuta. Geralmente ignoram um preceito básico para o sucesso nas redes sociais: a interatividade com os usuários.

A falta de habilidade por parte dos parlamentares para interagir com os internautas leva a falhas nos meios virtuais que prejudicam o objetivo final como meio de comunicação. As mais comuns apontadas por especialistas são: excesso de autopropaganda, inexistência de interatividade, não atualização dos dados, foco em apenas um tema, mensagens que agridem a norma gramatical e principalmente ignorar as críticas e não responder às dúvidas.

Outro problema muito comum e não perdoado pelos eleitores é o oportunismo. Muitos políticos apenas participam das discussões nas redes quando o assunto é favorável a eles. Quando são elogiados, respondem praticamente na hora com toda simpatia. Entretanto, quando são criticados ou instados a participar de debates polêmicos fogem tal qual o diabo da cruz.

Recentemente, aqui em nosso município, a rede social Itabirito, arena virtual das discussões políticas locais e com mais de 12 mil participantes, foi palco de um debate sobre a redução salarial dos vereadores, por meio de dois artigos com opiniões distintas. O assunto fomentou acaloradas discussões, o que era esperado por tratar-se de assunto tão controverso.

Infelizmente, os mais interessados na questão, no caso os vereadores municipais, não deram às caras no debate. Inclusive, alguns parlamentares, presentes no grupo, fingiram-se de mortos. Isso é imperdoável, pois a opinião deles sobre tema tão polêmico, que vem sendo debatido em todo o país, seria fundamental. Ainda mais que há um movimento na cidade colhendo assinaturas para um projeto de iniciativa popular para reduzir os salários deles.

Essa omissão certamente foi notada, pelos internautas e eleitores, e é um ponto a menos na credibilidade dos vereadores dispostos a interagir nos demais grupos virtuais do município.

O segredo para o sucesso nas redes sociais é muito simples e atende pelo nome de planejamento. É preciso planejar essa presença digital. Isso inclui definir qual será o segmento de atuação e como essa presença será feita. É importante ter consciência de que é impossível agradar a todos. É necessário definir que assuntos serão abordados, se o perfil será alimentado pelo próprio profissional ou será por uma equipe. Quais temas serão evitados e em caso de crise, quem será o responsável por responder na web.

Acredito ser impensável, num mundo conectado como o atual, os políticos não participarem ativamente das redes e mídias sociais. Isso demonstra atraso, ignorância, afasta o eleitor e empobrece a democracia.

*Marcelo Rebelo é jornalista, relações-públicas, pós-graduado em E-commerce e servidor efetivo da Secom da Prefeitura de Itabirito.
http://minutomais.com/itabirito/ignorar-as-redes-e-midias-sociais-nas-disputas-eleitorais-pode-ser-fatal.html